O mito da “Geração Google”

Um estudo do grupo de pesquisa Ciber, da University College London, publicado na última quarta-feira, avisa que há carência de potencial crítico e analítico nessa galerinha que já nasceu em berço digital.

A pesquisa diz que, embora esses jovens apresentem uma aparente facilidade e familiaridade com tecnologias, eles dependem fortemente de buscadores e de uma visibilidade que não privilegia a leitura.

As conclusões ficam pesadas quando afirmam que esse grupo não “possui condições críticas e habilidades analíticas para avaliar a informação que encontra na web”.

Questiono, embora não duvide. (Jeito bonito de ficar em cima do muro, né? :P )

Questiono pelo teor negativo com que o relatório trata a dependência de ferramentas de busca e visibilidade atraente. Isso não é “privilégio” de quem lida com web. Faz tempo que a gente já fez download da mente para a máquina (ou tu lembras dos telefones de todos os teus amigos, de cabeça?).

A visibilidade que menospreza o texto vem da cultura videoclíptica da década de 80. E ler menos não pode ser sinônimo de um índice cultural menor. Aqui se trata da FORMA como a mensagem é tratada e linguagens alternativas ao puro-texto podem, sim, prover um jovem do conhecimento que ele necessita desenvolver.

Agora, quanto à falta de capacidade crítica e de habilidades analíticas, tendo a concordar com a pesquisa. Porque esse potencial não advém apenas de leitura e memorização. Vem da educação do sujeito, do estilo de vida familiar, do grau de interesse que desperta por determinados assuntos, pela seriedade com que lida com estudos, por senso de cidadania e – por que não? – por um bom desfrute do que a rede tem a oferecer.

(Valeu a dica, Rafael Kenski)

About Ana Brambilla

Sou jornalista, me interesso por processos colaborativos em mídias digitais, nasci em Porto Alegre, moro aqui mas amo São Paulo ^.^
This entry was posted in Tecnologices. Bookmark the permalink.

2 Responses to O mito da “Geração Google”

  1. Oi Ana

    Lembra de mim?
    Eu trabalhava na sala do Alex quando tu estava começando o mestrado lá. Entrei no mestrado lá também (já estou na metade).
    Meu Google reader te recomendou para mim.
    Bem interessante teu blog, já está nos feeds.

    Beijão

  2. Madu says:

    Oi Ana!
    Feliz 2008 procê! =D
    Devagarinho tô voltando à vida por aqui… e não podia deixar de comentar este post bacana. Como o comentário começou a ficar quilométrico, decidi transformá-lo num post: http://clicologoexisto.wordpress.com/2008/01/24/perdemos-a-memoria-agora-e-a-vez-das-sinapses/
    Beijão procê, e nos falamos!
    Madu

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>